ORDEM DA VISITAÇÃO DE SANTA MARIA

Vida contemplativa Clausura Papal
 
 

Primeiro Centenário do Mosteiro da Visitação em São Paulo

ANNECY, França  

França: desse primeiro Mosteiro da Ordem saíram várias fundações, entre as quais CHAMBÉRY, que fundou na Itália o de VAL D’AOSTE. Daí saiu um grupo para VERCEIL, e mais tarde um outro grupo para ARONA. Deste Mosteiro partiu uma Comunidade para MILÃO que em seguida fundou o primeiro Mosteiro da Visitação na América do Sul em MONTEVIDÉU – Uruguai. Este, entre outros, fundou POUSO ALEGRE – Brasil, que em 10 de agosto de 1915 foi transladado para SÃO PAULO – Capital. Origens Históricas da Fundação do MOSTEIRO da VISITAÇÃO - São Paulo

-

-

-

CHAMBÉRY, França 

Fundado por nossa Santa Madre Joana Francisca de Chantal, no dia 17 de janeiro de 1624. Ela mesma conta assim os detalhes dessa fundação: “Nós saímos de Annecy em 14 janeiro de 1624, com nossas Irmãs: Maria Adriana Fichet, Cláudia Maria Thiollier, Maria Gaspara Davise, Gaspara Angélica Brumer, Cláudia Inês Dolos, Cláudia Cecília de Châtel e Joana Etienne Guyot acompanhadas de Dom Miguel Favre, nosso Confessor e outros eclesiásticos e leigos de Annecy. Chegamos a Chambéry a 15 do mesmo mês pela assistência do Senhor Tomás que nos enviou suas carruagens. Este grande Príncipe, incomparável em virtude e em piedade, favoreceu nosso estabelecimento e nos assistiu com grandes esmolas, etc. [...] Monsenhor Moris, pároco da cidade de Lemec, veio para dar-nos água benta e incenso. Imediatamente os músicos da Santa Capela entoaram o Te Deum [....].Monsenhor Favre nos deu a bênção com o Santíssimo Sacramento e em seguida nos conduziu ao nosso coro [...]”.

-

VAL D’AOSTE, Itália 

A primeira fundação fora da França, em condições de extrema pobreza, foi a de Val d’Aoste (em Itália), no dia 12 de outubro de 1631, graças a um grupo de Irmãs que vieram do Mosteiro de Chambéry. A Madre Francisca Gaspara de Favre foi a Pedra fundamental. Entre as cooperadoras estava uma Irmã de Annecy.

-

VERCEIL, Itália

Fundado no dia 1º de julho de 1642. Este foi o terceiro Mosteiro da Ordem estabelecido em terras italianas; saiu de Val d’Aoste, e sua primeira Superiora foi a Madre Maria Luísa Roncansio.

-

ARONA, Itália 

Fundado por Verceil no dia 8 de abril de 1657.

Foi sua primeira Superiora a Madre Maria Luísa Roncansio.

-

-

-

-

-

MILÃO, Itália 

Fundado por Arona, foi estabelecido pela Madre Clara Maria Suardin. O Mosteiro pertencia a umas religiosas de Santa Sofía cujos 37 membros tiveram que dispersar-se em diversos Mosteiros de sua Ordem, pois este tinha contraído tal quantidade de dívidas que lhe era impossível subsistir. Três religiosas da Ordem de Santa Sofia optaram pela Visitação e nela professaram. Graças à generosidade dos benfeitores se conseguiu reunir uma parte da quantia necessária para pagar as dívidas destas religiosas. Alguns anos depois, como ainda faltava grande parte por pagar, os credores se apoderaram da igreja por espaço de dois anos. O Cardeal Arcebispo nestas circunstâncias, compadecido, ainda lhes doou uma parte. Assim puderam voltar de novo a celebrar as Missas em sua igreja.

-

MONTEVIDÉU, Uruguay 

Esta história tem seus começos no ano de 1816, quando duas jovens irmãs da sociedade de Uruguai, Joana Maria e Rosa Eduviges García de Zúñiga, sentiram o chamado de Deus a uma vida entregue à oração. Passaram 40 longos anos de espera, com dificuldades e inúmeras circunstâncias adversas, mas todas elas conduziram para a fundação de um novo Mosteiro da Ordem, que demonstraria, com o êxito obtido, que só a mão de Deus dirigiu tão santa empresa.

-

-

-

-

POUSO ALEGRE - Minas Gerais - Brasil - em 1902 -

A família de uma de nossas Irmãs, Maria Isabel Dutra, possuidora de grande fortuna no Brasil, tinha manifestado o desejo de que aí se fizesse uma Fundação. Naquela época não foi possível aceitá-lo porque a Comunidade Uruguaia carecia de pessoal. Passaram dez anos e tudo parecia esquecido, quando os Superiores eclesiásticos, ante a perspectiva de uma perseguição religiosa e temendo pelo porvir, aconselharam a fundação de um Mosteiro no Brasil, que fosse como um refúgio.
Foram dados os primeiros passos para fazer reviver o antigo projeto. Mas, tendo falecido o pai de nossa Irmã Maria Isabel, seus herdeiros já não se dispunham a colaborar financeiramente no projeto. Por outro lado, o Bispo do Rio Grande do Sul (Brasil) não aprovava a fundação de uma Ordem claustral na sua diocese.
O Padre Davi de Gislain aconselhou as Irmãs a escreverem ao Monsenhor Macchi, Núncio Apostólico do Brasil, para expor suas dificuldades. Sua Excelência se interessou vivamente pelo projeto e afinal foi indicado Pouso Alegre, em Minas Gerais, como um lugar adequado.
As Irmãs fundadoras partiram do Uruguai em dois grupos: O primeiro, no dia 30 de março de 1902, composto por Irmã Maria Eugênia de Lavalle, Superiora, e suas duas companheiras, Irmã Maria Madalena Sánchez e a Noviça Maria Bernarda Débias. Chegando ao Brasil, à cidade de Santos, foram recebidas pela família de uma das Irmãs. Em seguida partiram para Campinas, onde permaneceram com as religiosas de São José de Chambéry por alguns dias. Daí, de trem viajaram para Ouro Fino, chegando na tarde do dia 7, onde pernoitaram.
Na manhã do dia 8 de abril de 1902, foram afinal recebidas em Pouso Alegre, pelo povo, com manifestações de grande alegria. Seguidas de toda a multidão atravessaram a cidade a pé, para ir à Catedral e renovar o sacrifício de suas vidas diante do Sacrário. Dirigiram-se então a uma pequena casa cedida por alguns dias pelo Vigário-geral, Monsenhor Marti. Aí as esperava o Bispo Dom Nery, que as recebeu com sentimentos paternais, assegurando-lhes sua proteção moral e espiritual.
Quando chegou o segundo grupo, composto pelas Irmãs Maria Isabel Dutra, Assistente, Maria Elena Hellot e Ângela Coubaret, que haviam partido do Uruguai no dia 12 de abril do mesmo ano, a Comunidade, agora reunida, gozou de seis semanas de solidão e recolhimento.
A 15 de maio mudaram para uma casa que era uma das maiores da cidade, mas estava quase em ruínas, sem fechaduras nas portas, sem vidros nas janelas, e com rombos nas paredes, por onde passavam todas as espécies de bichos durante a noite. E pagando aluguel diário. Não obstante isto, abriram o colégio: o externato no dia 1°. de junho, instalando-o provisoriamente no edifício da antiga Santa Casa de Misericórdia. E no ano seguinte já admitiam as primeiras alunas internas.
Superando inúmeras dificuldades, conseguiram encontrar uma propriedade de 12 hectares, por muito bom preço, situada na entrada de Pouso Alegre. A 24 de maio de 1903 foi lançada a pedra fundamental do futuro Mosteiro. No dia 20 de dezembro de 1904, Dom Nery benzeu a parte habitável, que passaram a ocupar a partir de 24 do mesmo mês, para evitar as pesadas despesas de aluguel.
Em 1910, uma parte do Mosteiro estava perfeitamente instalada, bem como o Pensionato, que prometia bons frutos, graças ao trabalho das Irmãs. Nada faltava à Comunidade, mas sua única fonte de renda provinha das mensalidades das alunas. Viviam, nessa época, as alegrias do Tricentenário da fundação da Ordem da Visitação de Santa Maria (1610 – 1910).
Após as celebrações festivas, as Irmãs receberam um comunicado sobre o documento do Papa Pio X solicitando a todas as Congregações de Vida Contemplativa que encerrassem suas eventuais obras educacionais (colégios, pensionatos), para dedicar-se exclusivamente à vida de oração, no silêncio dos claustros. Para atender a este apelo, a Visitação de Pouso Alegre deveria renunciar ao único recurso que tinha para sua subsistência, ou seja, o colégio. Além deste fator, o Governo de Minas Gerais passou a reclamar a propriedade das Irmãs, pois a cidade de Pouso Alegre, em razão de sua posição topográfica, ia ser dotada de um quartel militar e o local escolhido para isso foi o terreno das Irmãs.

-

-

FUNDAÇÃO do MOSTEIRO da VISITAÇÃO – São Paulo - 10 agosto de 1915 -

Anésia da Silva Prado Pacheco e Chaves (Nezita), de ilustre família, desejava dedicar-se totalmente a Deus e resolveu para isto empregar toda a sua herança. Seu diretor espiritual, Monsenhor Maximiano da Silva Leite, reitor do Seminário, por seu lado, buscava estabelecer na capital de São Paulo um Mosteiro da Visitação.
Assim, Anésia tornou-se um instrumento dócil da Divina Providência, para realizar essa obra. Fez uma viagem à Europa. Em Roma recebeu do Papa Pio X a bênção apostólica para a futura fundação, o qual lhe disse: “Deus o quer! Deus o quer!”. Na França, esteve na cidade de Annecy, berço da Ordem da Visitação, a fim de estudar seus usos e costumes. Recebeu boa acolhida, mas não lhe foi possível obter Irmãs francesas, como desejava.
Anésia voltou-se então para o Mosteiro de Pouso Alegre, que lhe cedeu prontamente 5 Religiosas, e deu início à construção do Mosteiro, na capital paulista. Mas neste meio tempo em Pouso Alegre as dificuldades se tornaram insuperáveis em vista do fechamento do colégio e da requisição da propriedade das Irmãs pelo Governo do Estado.

Assim, no dia 10 de agosto de 1915, efetuou-se não uma nova Fundação, mas a Transladação de toda a Comunidade Visitandina de Pouso Alegre, para a cidade de São Paulo, tendo por Superiora a Madre Maria de Sales Diniz.
No dia 6 de janeiro 1916, após imensos trabalhos para concluir a magnífica Capela, ainda inacabada na data da Transladação, Anésia transpunha o limiar da clausura tomando o hábito da Visitação em 26 de julho do mesmo ano, e recebendo o nome religioso de Maria Luísa.

...

-

               100 anos de presença orante em São Paulo - Celebração Eucarística


 

Rua Dona Inácia Uchoa, 208, Vila Mariana
São Paulo - SP - CEP 04110-020 - Tel: (11) 55793948